Lifetycon Investimentos topo
Uceff topo
Móveis Incomaba topo
Funerária Scopel
Restaurante Alvorada topo
Quality Solar topo
Odontologia Pacheco
Balneário e Camping Barra do veado topo
Sicredi topo
Bruna Manuela Parmegiani
Loja Sol topo
Marmoraria Felicetti topo
Supermercado Comin topo
Armazém dos Óculos topo
Geral

Estação de Tratamento de Dejetos Humanos: mais um passo é dado

Conforme Bonamigo, obra irá resolver grave problema de esgotamento sanitário no município e região

24/01/2020 15h30Atualizado há 1 mês
Por: Redacao
Fonte: Assessoria de Comunicação
199
Autoridades e entidades da região acompanharam testes em linha Campinas (Foto: Assessoria de Comunicação)
Autoridades e entidades da região acompanharam testes em linha Campinas (Foto: Assessoria de Comunicação)

Os prefeitos de Descanso, Belmonte, Bandeirante, Paraíso, Barra Bonita, representantes do município de Tunápolis, secretários municipais e vereadores de Descanso, representantes da Casan, Aris e Conder acompanharam os primeiros testes na Estação de Tratamento de Dejetos Humanos, localizada na linha Campinas, interior de Descanso, na manhã desta sexta-feira, 24 de janeiro.

Fazem parte do acordo de cooperação firmado em setembro de 2018 os oito municípios: Descanso, Belmonte, Bandeirante, Paraíso, Barra Bonita, Tunápolis, Santa Helena e São Miguel do Oeste. Estes formalizaram a cooperação na implementação de processos e ações para melhorar os serviços de saneamento básico na região e unem forças para a implantação do sistema de coleta de esgoto para tratamento na estação.

De acordo do com prefeito Sadi Bonamigo, os testes são um passo a mais para viabilização da estação. “A partir de hoje damos um passo importante para que os municípios possam resolver um problema que perdura há mais de 40 anos, que é a destinação correta dos dejetos humanos. Isso só está sendo possível pela parceria dos municípios, Ministério Público, Aris, Conder e Casan”, comenta.

Bonamigo ressalta que foram investidos R$ 600 mil na obra, R$ 400 mil de recurso do Fundo Estadual de Proteção ao Meio Ambiente (Fepema) e R$ 200 mil de recursos próprios do município. “Quero agradecer a administração anterior por ter ido em busca do recurso para dar início a obra e também a minha equipe, que está trabalhando incessantemente para a conclusão desse projeto, que está sendo possível com investimentos adicionais que visam a melhoria na qualidade dos serviços que serão prestados à população”, comenta.

Bonamigo ainda destaca que a obra servirá como exemplo municípios pequenos de todo o Brasil. “Continuamos trabalhando muito forte na estação para resolver um grave problema que afeta Descanso e região”, cita.

Entenda como a estação irá funcionar a unidade

O esgoto será coletado das fossas domiciliares pelo caminhão limpa-fossa e levado até a estação, onde será depositado em uma caixa de decantação. Na etapa do tratamento, os efluentes passam pelo processo de eletro flotação onde os sólidos em suspensão são separados e o lodo flotado vai para a compostagem. Depois de um período, se tornará um composto orgânico que poderá ser utilizado como adubação de árvores e ajardinamento.

Segundo o secretário de Administração, Paulo Lauxen, a estação tem capacidade de processar até 40 cúbicos de lodo por dia e poderá atender até cinco mil imóveis entre os oito municípios, para isso, todas as fossas deverão estar regularizadas. “Só em Descanso existem 1.800 fossas, delas 500 já estão regularizadas. Pensando nisso, faremos um trabalho forte de conscientização e na criação de um programa de incentivo para a regularização das fossas”, comenta.

O Governo Municipal e municípios parceiros estão em tratativas com a Casan e outros órgãos a fim de buscar aporte financeiro para subsidiar parte das regularizações, principalmente, para famílias de baixa renda.

Tarifas

O custo mensal de operação da estação será em torno de R$ 70 mil, com isso, um estudo genérico feito pela Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris) mostra que para ser um sistema economicamente sustentável, a tarifa cobrada de estabelecimentos comerciais, casas e prédios seria em média de R$ 15 mensal. Em breve um novo estudo será realizado pela agência reguladora no intuito de obter dados mais específicos da estação e região que será atendida.

Próximos passos

O Governo Municipal encaminhou projeto visando a sustentabilidade econômica e técnica para Câmara de Vereadores que foi reprovado. Com isso, no dia 3 de fevereiro será realizada uma nova reunião com o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente e vereadores para a finalização de um novo projeto de lei que visa a criação de um sistema de esgotamento sanitário no município, que será encaminhado novamente para a Câmara.

  • Estação de Tratamento de Dejetos Humanos: mais um passo é dado
  • Estação de Tratamento de Dejetos Humanos: mais um passo é dado
  • Estação de Tratamento de Dejetos Humanos: mais um passo é dado
  • Estação de Tratamento de Dejetos Humanos: mais um passo é dado
  • Estação de Tratamento de Dejetos Humanos: mais um passo é dado