Marmoraria Felicetti topo
Restaurante Alvorada topo
Sicredi topo
Funerária Scopel
Quality Solar topo
Armazém dos Óculos topo
Techy Internet topo
Loja Sol topo
HB Informática 1
Supermercado Comin topo
Odontologia Pacheco
Esportes

O time do “surpreendente” é heptacampeão do Campeonato Catarinense

Entre os principais, a incontestável emoção da história escrita por um time desacreditado por muitos

13/09/2020 21h51
Por: Redacao
Fonte: Assessoria de Comunicação
42
Chapecoense venceu novamente o Brusque e desta vez por 1 a 0 (Foto: Márcio Cunha/ACF)
Chapecoense venceu novamente o Brusque e desta vez por 1 a 0 (Foto: Márcio Cunha/ACF)

O último ato do Campeonato Catarinense de 2020 foi com todos os elementos indispensáveis a uma final de competição. Entre os principais, a incontestável emoção da história escrita por um time desacreditado por muitos e que nem na mais otimista das projeções estaria disputando a partida decisiva - quem dirá, ficando com o título. Mas a Chapecoense, mais uma vez, provou porque o futebol é tão apaixonante e porque é o time do surpreendente.

Depois de se classificar para os playoffs do estadual aos 45 do segundo tempo, o clube iniciou a sua escalada e, de forma heroica, deixou os adversários e as adversidades pelo caminho para chegar, pelo quinto ano consecutivo, à grande final.

E, como quem entende muito sobre a resiliência e sabe a importância de não desperdiçar as segundas chances recebidas pela vida, o time de verde e branco escreveu, mais uma vez, uma página heroica da sua história e comprovou que avança a passos firmes no caminho da retomada da sua essência e, principalmente, da reconstrução.

Com a união de forças, dentro e fora de campo, e com a completa sinergia entre atletas, comissão técnica, colaboradores, diretoria e torcida, o Verdão chegou ao Heptacampeonato Catarinense.

Depois de vencer o jogo de ida, na Arena Condá, pelo placar de 2 a 0, a Chapecoense entrou em campo com a vantagem e podendo perder por um gol de diferença e, mesmo assim, se sagrar campeã. Apesar disso, a equipe alviverde não se intimidou, fazendo uma partida consistente em todos os setores e promovendo um primeiro tempo de muito equilíbrio e placar fechado no Augusto Bauer.

Na etapa complementar, o Verdão - que já garantia o título com o empate parcial - voltou à campo disposto a liquidar a partida. Depois de muita pressão do time alviverde e de Willian Oliveira carimbando a trave de Zé Carlos, Anselmo Ramon, na pequena área, mandou para o fundo do gol, determinando a vitória por 1 a 0 e coroando o título alviverde.