Quarta, 27 de Outubro de 2021 20:28
(49) 99173 6876
Amo o Que Faço Amo o Que Faço

Orquídeas: um cultivo de amor

No quintal de casa, Leonice Maria Wille Catto cultiva mais de 100 plantas

17/05/2021 11h34
1.026
Por: Redacao
O plantio exige paciência e cuidado (Fotos: Portal Minha Descanso)
O plantio exige paciência e cuidado (Fotos: Portal Minha Descanso)

Leonice Maria Wille Catto herdou a paixão pelo manejo da terra da sua mãe Theresinha Jacy Wille. O gosto pelo paisagismo começou muito cedo, quando a família preparava canteiros de flores em frente à casa. Agora, Leonice também já repassa o aprendizado para os seus filhos, através do cultivo de orquídeas no quintal da casa da família, no bairro Vila Real, em Descanso.

Secretária escolar no serviço social do Sesi/Senai, ela dedica ao cuidado das plantas nos finais de semana e após o expediente. “O interesse pelo cultivo de orquídeas despertou no ano de 2011, inspirado em uma amiga da cidade de Anchieta. Na época, compramos algumas mudas pela internet e desde então peguei gosto por este cultivo, que envolve muita dedicação e amor”, conta.

Leonice lembra que no início perdeu muitas mudas por não saber os cuidados necessários que a planta exigia. Foi então que ela iniciou a busca frequente pelo assunto, quando descobriu os principais segredos para cultivar e os nomes de várias espécies. “Comecei a estudar sobre a irrigação, qual a melhor terra e adubo para elas. Além disso, é muito comum a troca de experiências entre pessoas que também cultivam orquídeas em suas casas”, cita.

Ela cuida de todo o processo de crescimento da planta, desde o plantio da muda até a sua floração. Leonice destaca que para cultivar as plantas é necessário seguir uma rotina de cuidados. “É preciso ter um local que tenha boa iluminação e proteção do sol, molhar a planta sempre que ela estiver seca e adubá-la a cada três meses. No plantio das mudas é necessário utilizar terra do mato”, diz a professora.

No quintal da casa, são em torno de 100 plantas de dez espécies diferentes. A secretaria afirma que possui uma variedade comprada há sete anos e que ainda não floresceu. “Comprei a muda pela internet e ela ainda não mostrou a sua beleza, mas não perco a esperança de vê-la florescer em breve”, afirma.

As plantas são cultivadas mais próximo do seu habitat natural, algumas em vasos de barro ou plástico. Os de barro com alguns buracos são melhores, pois facilita o arejamento das raízes e elimina melhor a água em excesso. Ela cita que algumas orquídeas dificilmente se adaptam dentro de vasos e nesses casos as cultiva sobre troncos de árvores ou em nó de pinho.

A chegada do inverno diminui a necessidade de irrigação das plantas com frequência, que no verão é feita a cada dois dias. Já no inverno é necessário intensificar os cuidados com o frio excessivo. Quando a previsão for de geada é preciso cobri-las para que não sejam prejudicadas.

O amor e o cuidado com o cultivo das orquídeas são uma terapia que Leonice afirma não querer perder e deseja repassar para seus filhos. “É todo um cuidado e uma espera, que ao ver a planta florescer e mostrar sua beleza você sabe que vale a pena”, finaliza.

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias