Domingo, 25 de Julho de 2021 20:07
(49) 99173 6876
Saúde Saúde e Bem-Estar

Vacinação em dia é sinônimo de prevenção

Hoje, as vacinas são quase todas profiláticas

13/07/2021 09h05
37
Por: Redacao
Por Neila Aparecida Oro, bioquímica coordenadora e responsável técnica do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste
Por Neila Aparecida Oro, bioquímica coordenadora e responsável técnica do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso de São Miguel do Oeste

A imunização é o meio de garantir proteção específica contra a maioria das doenças. É um grande avanço da ciência e nós não podemos abrir mão desse progresso.

A vacinação é muito importante em todos os momentos do ciclo de vida de uma pessoa. E é ainda mais relevante nos extremos de idade, durante a gestação e em determinadas profissões (como as da saúde), para evitar doenças e complicações.

No início da vida já adquirimos o que se chama de: ‘imunidade natural passiva’ - que é transferida da mãe para o feto por meio da placenta. Ou pelo colostro - que é o primeiro leite produzido pela mãe quando começa a amamentar.

A chamada ‘imunidade ativa artificialmente adquirida’ é conseguida ao administrar organismos que são capazes de causar diferentes doenças. Vacinas usadas para imunização ativa consistem em organismos vivos, organismos completos mortos, componentes microbianos ou toxinas secretadas.

Outra forma de adquirir a imunidade é após o contato ou exposição de moléculas desconhecidas no organismo. Moléculas que se destacam de células estranhas, como, por exemplo, bactérias e fungos. É a chamada ‘imunidade ativa naturalmente adquirida’.

A vacina é uma preparação que pode conter partículas de agentes infecciosos, o agente morto, atenuado ou inativado (sem capacidade de causar doenças) que quando aplicada desencadeia uma resposta imunológica que gerará uma “imunidade ativa”, fazendo com que o corpo consiga se defender, caso tenha contato com o micro-organismo.

Hoje, as vacinas são quase todas profiláticas (evitam doenças), mas, em alguns casos também podem ser terapêuticas (contra o câncer, que ainda estão sendo pesquisadas).

No Brasil o programa nacional de imunização (PNI) desenvolve as atividades mediante o calendário de vacinação, normatizado em nível federal por meio de portarias do Ministério da Saúde. É de responsabilidade deste elaborar normas e procedimentos para aquisição, armazenamento e distribuição dos imunobiológicos nos níveis nacional, estadual e municipal, atuando de acordo com o modelo descentralizado de gestão do SUS, em parceria com os estados e municípios. A sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM) também orienta quais são as vacinas e os calendários de vacinação para cada faixa etária.

Independentemente se for através do Sistema Único de Saúde (SUS) ou através da rede privada, o importante é realizar todas as vacinas. Neste momento de pandemia mundial a vacina é a única forma de imunização e é também a esperança de que a vida volte ao normal o mais rápido possível.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias